terça-feira, 9 de novembro de 2010

Analfabetismo funcional?

Um douto postou seus reclames em um post deste blog.
Pedi para que ele pensasse antes de comentar, fazendo a devida ligação entre o conteúdo
do comentário e o conteúdo do post.

Como ele não refez o comentário, talvez ele tenha percebido a impertinência do próprio comentário; mas como ele deixou de pensar uma vez não custa ter sido incapaz de pensar uma segunda.

Portanto, mostrarei a impertinência, a falta de capacidade e de conhecimento do divino meliante da razão.

O comentário dele:

Rapidfire

“Veja só o que diz o primeiro Concilio do Vaticano:

Por isso Nós, apegando-nos à Tradição recebida desde o início da fé cristã, para a glória de Deus, nosso Salvador, para exaltação da religião católica, e para a salvação dos povos cristãos, com a aprovação do Sagrado Concílio, ensinamos e definimos como dogma divinamente revelado que o Romano Pontífice, quando fala ex cathedra, isto é, quando, no desempenho do ministério de pastor e doutor de todos os cristãos, define com sua suprema autoridade apostólica alguma doutrina referente à fé e à moral para toda a Igreja, em virtude da assistência divina prometida a ele na pessoa de São Pedro, goza daquela INFALIBILIDADE com a qual Cristo quis munir a sua Igreja quando define alguma doutrina sobre a fé e a moral; e que, portanto, tais declarações do Romano Pontífice são por si mesmas, e não apenas em virtude do consenso da Igreja, irreformáveis.

Depois uma matéria do New York Times (como exemplo):

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/03/100325_igreja_nyt_pu.shtml

O papa em suas atribuições escreve uma carta pastoral em que pede desculpas. Precisa de mais?”

~
O que eu preciso é que sempre que você queira comentar nesse blog use, antes de escrever, a inteligência.
Isso é pedir muito?

Se estiver apenas a dizer que existem padres que cometeram crimes, isso eu não neguei.
Se o que quer dizer é que o Papa ou Cardeal Ratzinger foi omisso e conivente, isso é lá coisa que nenhum otário e nem Dawkins (redundância?) conseguiu provar. (e nem as autoridades)

E veja bem, caríssima divina sapiência, a parte que te deixa com as calças nas mãos está em seu próprio comentário: "quando fala ex cathedra, isto é, quando, no desempenho do ministério de pastor e doutor de todos os cristãos, define com sua suprema autoridade apostólica alguma doutrina referente à fé e à moral para toda a Igreja, (...)"

Vá me provar que Bento XVI pediu desculpas em “ex cathedra”, ou mesmo que em algum outro momento algum Papa tenha feito um pronunciamento “ex-cathedra” para defender a pedofilia, que é o que você em sua suprema sabedoria infinita usa como exemplo.
E vou além. A carta de pedido de desculpas poderia (logicamente dizendo, não que seja essa a tradição da ICAR) ser em “ex cathedra” sem ferir nenhum pouco a questão da infalibilidade; ora, estaria apenas reconhecendo infalivelmente o crime de religiosos. Crime que houve de fato e que, portanto, não haveria problema de ser reconhecido através da infalibilidade. (volto a repetir, por lógica e não por tradição, pois desconheço a tradição)

Agradeço imensamente ao divino replicante o tempo que me poupou ao trazer essa citação; eu que não sou religioso e que me dedico menos que você e muito de seus amiguinhos a religião e aos religiosos iria demorar um bocado para achar tal citação.

Acerca de seu estado mental que o torna incapaz de pensar sobre textos, caro Rapid, meus pêsames.

ps: se quiser pesquisar na história da ICAR algo que foi proclamado ‘infalivelmente’ e depois foi proclamado erro, um engano, esteja à vontade. Será enriquecedor para mim.

===

E para quem duvidava que os comentaristas da minha eterna fonte de pérolas® só são capazes de pensar quando lhes convêm (seria sinal de lavagem cerebral?, cegueira ideológica?, má fé?, sujeira?, ?, ?), dias depois deram uma notícia de que a Rússia estava a iniciar um combate às superstições.
Não tardou para alguém pensar criticamente e comentar:
O ”M.G”. escreveu:
“A igreja ortodoxa apoiou a proibição, já que “nenhum país civilizado pode permitir a propagação em massa de serviços de bruxos e milagreiros”, mas a qualificou de “tardia” e “insuficiente”.
Ah é? apoiou é? e eles tem como provar o que prometem?"


E um outro completou:
"H"
“Será que os milagres de jesus e dos santos ortodoxos estão incluídos na proibição?..:-) Ou as promessas de vida eterna no paraíso celeste?”


A bitolação produz comportamentos previsíveis, muito previsíveis.
E previsibilidade de falta de capacidade crítica é um resultado muito agradável em comparação a outros deploráveis que são comumente expressos por essa gente.

3 comentários:

Jairo Entrecosto disse...

Yuri, a propósito daquele espanhol que o ano passado insultou os presentes num batismo cristão, interrompendo a cerimónia, encontrei esta indignação pelo facto do homem ter sido condenado a pena de prisão:


"O que ocorreria se religiosos ficassem na frente de um prostíbulo condenando seus freqüentadores? Nada, como tantas vezes ocorre…

Esperava mais fé dos religiosos entregando a justiça divina a real punição. Mas como esta não existe, se recorre a justiça dos homens.

Pois é. Mostraram que não confiam na de Deus ou deuses…."

O que ocorreria se religiosos ficassem na frente de um prostíbulo condenando seus freqüentadores? Nada, como tantas vezes ocorre…

Esperava mais fé dos religiosos entregando a justiça divina a real punição. Mas como esta não existe, se recorre a justiça dos homens.

Pois é. Mostraram que não confiam na de Deus ou deuses….

Jairo Entrecosto disse...

Yuri, esqueci o link( está nessa página, mas tem de rodá-la para baixo):

http://mordaz.blog.terra.com.br/2009/12/

Cumprimentos

Yuri S. C. disse...

Uau! mais uma fonte de pérolas!

Obrigado.