sexta-feira, 13 de abril de 2012

Trambiques na história, por Hemerson

Um magnânimo corvo, no alto de seus sapienciais vôos, fez uma acrobacia muito comum aos historiadores estúpidos e servientes à asnice que comumente ensinam história: pegou fatos e disparou um jogo de afirmações cujo real espelho é a própria ignorância do pseudo-historiador.


Vi aqui.

5 comentários:

gabrielmarques disse...

Título da postagem: "Aplicação prática da falácia do ateu esperançoso em menos de 10.000 caracteres"
Escrita por: Dr. Manhattan, aquele que vê todas as realidades paralelas, o futuro, o passado e está em todos os lugares
Blog: "O Corvo"
Nota: 1/10 e esse ponto é porque o Yuri ainda se deu o trabalho de escrever sobre.

Yuri, já viu um respeitoso ateu gordinho dançarino (peço encarecidamente que faça um post sobre o peanut butter jelly time em questão)? http://youtu.be/AKujw5IGbuA

gabrielmarques disse...

Título da postagem: "Aplicação prática da falácia do ateu esperançoso em menos de 10.000 caracteres"
Escrita por: Dr. Manhattan, aquele que vê todas as realidades paralelas, o futuro, o passado e está em todos os lugares
Nota: 1/10 e esse ponto é porque o Yuri ainda se deu o trabalho de escrever sobre.

Yuri, já viu um divino ateu gordinho dançarino (peço encarecidamente que faça um post sobre o peanut butter jelly time em questão)? http://youtu.be/AKujw5IGbuA

Yuri S. C. disse...

Gabriel, ainda não cheguei ao YT.
Em breve, eu acho...

A.Porto disse...

O "sábio" também poderia citar que as armas atõmicas e de destruição em massa são culpa da igreja.
Como diria robim: santa ignorância.

Eduardo Araújo disse...

O ódio que essa pessoa tem à religião é de tal monta que beira à esquizofrenia.

É uma mistura atroz de "non sequitur" com cientificismo e muito recalque anti-religioso.

Como bem indicou o A. Porto, não seria surpresa encontrar essas "sapiências" acusando a Igreja e/ou, por extenso, a religião, até da corrida armamentista. Sério, já ouvi gente dessa espécie atribuindo o conflito árabe-israelense à Igreja Católica, bem como a guerra do Golfo!

Nos primeiros anos de informação midiática a respeito da AIDS, lembro-me, ainda hoje, de um colega de trabalho berrando que a doença era uma invenção da Igreja para impedir a turma de transar. Acreditem: assim como ele, muitos diziam o mesmo!